Qualidade

Minha Casa, Minha Vida


A seleção dos materiais empregados na construção de empreendimentos do segmento econômico deve considerar primeiro desempenho, depois custo. O uso de produtos de qualidade evita multiplicação de patologias.

Mas não é qualquer empreendimento econômico que poderá receber financiamento do programa. Para participar do Minha Casa, Minha Vida, a construtora deverá comprovar o atendimento às exigências técnicas da Caixa Econômica Federal quanto à qualidade e ao desempenho dos produtos e sistemas construtivos empregados na construção dos imóveis.

Os empreendimentos do segmento econômico têm características peculiares - as principais delas são a padronização dos projetos, a produção em larga escala e a margem de lucro apertada na venda dos imóveis. Para não ter problemas com a multiplicação de patologias, a seleção de materiais e fornecedores das obras deverá ser bastante criteriosa. O desafio nesse tipo de empreendimento é buscar produtos baratos, mas com desempenho adequado às suas funções.

Dentro da cesta básica de materiais de construção, há itens em que não existe liberdade para especificação de produtos ditos "econômicos". Incluem-se no grupo o concreto e o aço estrutural, por exemplo. Outros produtos, no entanto, são ofertados em linhas de padrões diferenciados, como revestimentos cerâmicos e metais sanitários. é sobre eles que os construtores se debruçam para tentar reduzir ao máximo o custo de construção dos empreendimentos.

A maior parte desses itens é avaliada periodicamente nos PSQs (Programas Setoriais da Qualidade) do PBQP-H (Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat), que relaciona as empresas que fabricam produtos em conformidade com as normas técnicas vigentes.

Receba informações